10 de out de 2015

Reflexões [e poemas] para o Dia das Crianças

A humanidade tem necessidade de datas especiais. Falamos que todo dia é dia das mães, dos pais, dos avós, de lembrar do nascimento de Cristo, etc., mas, verdade seja dita, essas datas são importantes para refletirmos, reavaliarmos e, também, nos emocionarmos.

Descontando todo o aspecto comercial - que nada vejo de errado, afinal, estamos em um mundo material, o que não podemos praticar é o exagero ou o abandono do espiritual -, isso também acontece com o Dia das Crianças. 

Muitas de nossas crianças estão doentes. 

Doentes do corpo, por uma alimentação totalmente errônea e irresponsabilidades de aqueles que deveriam ser seus responsáveis. 

Doentes psicologicamente, pois, novamente, seus responsáveis se fazem apáticos ou super protetores, distantes ou invasivos demais, mostrando-se no dia a dia um exemplo de tudo que não deveriam fazer.

Doentes do espírito, pois os ambientes que vivem ficam superlotados de formas-pensamento negativas, energias inferiores e desequilíbrios de toda ordem.

Em meio a muito caos, estamos criando nossos futuros cidadãos. E isso terá um retorno. É impossível fugir da Lei de Causa e Efeito, ou seja, a despreocupação com a realidade que muitas crianças estão tendo trará frutos amargos à sociedade. Apesar disso, nada está errado. As grandes transformações só surgem em meio ao auge das dores.

Portanto, nos esforcemos e colaboremos para que as crianças destinadas as nossas vidas tenham uma vida saudável em todos os aspectos - físico, psicológico e espiritual. Cuidemos bem de almas que, muitas vezes, somos profundos devedores. 


A seguir, transcrevo dois poemas psicografados por Chico Xavier, do espírito Meimei. 

''Senhor !...
Disseram os homens que me queriam tanto,
mas ao atingir-lhes a casa, não dialogaram
comigo, segundo as minhas necessidades.
Quase todos me ofereceram um berço enfeitado, 
mas poucos me deram o coração.
Afirmam que devo procurar a felicidade,
entretanto, não sei como fazer isso, se os
vejo a quase todos sofrendo e rebelando-se
por não aceitarem as disciplinas da vida.
Escuto-lhes as lições de paz, contudo,
acompanho-lhes as rixas em vista de estarem
sempre exigindo o maior quinhão de recursos
da Terra. Recomendam-me buscar a alegria, mas,
muitas vezes, observo que esta misturado de
lágrimas o leite que me estendem. Erguem
palácios para mim, no entanto, entre as
paredes dessas mansões coloridas e belas,
renovam, a cada dia, reclamações e queixas
que não sei compreender, nem registrar.
Explicam que preciso praticar o perdão e ,
ao mesmo tempo, muitos me mostram como
exercitar a vingança.

Senhor !...
Que será de mim, neste grande mundo que
construíste entre as estrelas, sempre
adornado de flores e aquecido pelo Sol, se
os homens me abandonarem ?
Faze que eles reconheçam que dependo deles
como o fruto depende da arvore. E, tanto
quanto seja possível, dizer-lhes, Senhor,
que terei comigo apenas o que me derem e
que posso ser, enquanto estiver aqui,
unicamente o que eles são.''

''Dizes que sou o futuro,
Não me desampares no presente.
Dizes que sou a esperança da paz,
Não me induzas à guerra.
Dizes que sou a promessa do bem,
Não me confies ao mal.
Dizes que sou a luz dos teus olhos,
Não me abandones às trevas.
Não espero somente o teu pão,
Dá-me luz e entendimento.
Não desejo tão só a festa do teu carinho,
Suplico-te amor com que me eduques.
Não te rogo apenas brinquedos,
Peço-te bons exemplos e boas palavras.
Não sou simples ornamento de teu carinho,
Sou alguém que te bate à porta em nome de Deus.
Ensina-me o trabalho e a humildade, o devotamento e o perdão.
Compadece-te de mim e orienta-me para o que seja bom e justo.
Corrija-me enquanto é tempo, ainda que eu sofra...
Ajude-me hoje para que amanhã eu não te faça chorar.''

Um feliz Dia das Crianças para todas as crianças da nossa humanidade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário