18 de out de 2015

Semear o bem

Diariamente, marcamos em nossa consciência coisas que nos dão crédito ou débito para com a Providência. Nem percebemos, mas está ali, marcado cada pensamento ou ato. Cada escolha, intenção, esforço. Recebemos de acordo com o que fazemos. A cada  um segundo suas obras, disse Jesus.

Muitas vezes, o que incentivamos é a discórdia, as más vibrações e os desequilíbrios.

Somos, contudo, responsáveis até mesmo pela influência que temos. Então, por que insistimos no errado? Tantas brigas, desentendimentos, egoísmo e soberba... 

Mais do que como espíritas, como cristãos, devemos transcender a Doutrina intelectual e filosófica à vivência do Evangelho. Somos cobrados pelo que temos, e tendo conhecimento do certo e errado na teoria, na prática devemos demonstrar. O inferno consciencial começa quando ignoramos o que sabemos ser certo.

Você não precisa de dinheiro para ajudar alguém. Não precisa acabar com a fome no mundo ou com o narcotráfico. Quem mais precisa da sua ajuda está em casa, diretamente em convívio. Semeando a paz e a fraternidade dentro de você mesmo e, portanto, a muitos outros, uma caridade inestimável é feita. Fechando-se para a maledicência e a discórdia, outra.

Semear o bem exige dedicação, devido ao fato de termos um lado mesquinho gritante. Mas nada impossível. Comece hoje, amanhã é tarde para quem pode no presente.

[Original de 29 de dezembro de 2013. Repostado em 18/10/15.]

Nenhum comentário:

Postar um comentário