24 de dez de 2018

Você é senhor do seu destino! Nós decidiremos o futuro da humanidade

Como não aproveitar a época natalina e de final de ano para pensar e repensar sobre a vida, tanto quanto a nós mesmos, quanto à família, amigos e este pequeno globo azul por um todo?

Inclusive, para facilitar e otimizar isso, muitas mensagens de espíritos esclarecidos têm sido transmitidas no mundo inteiro, em uma frequência notória, para diferentes grupos, religiões, culturas, países... Nada e ninguém escapa das oportunidades de receber a Luz Divina no momento atual. 

Quem fecha seus olhos e ouvidos espirituais, está escolhendo se manter na ignorância. 

Por que escolhemos a ignorância por tanto tempo? Não tenho dúvidas de que a maioria absoluta de nós encarnados no Planeta Terra foi ou continua sendo renitente no mal; e o mal, por sua vez, pode ser explicado como ignorância. 

Passamos séculos, quem sabe milênios, perdidos e desconectados da essência divina, da fonte criadora, de Deus - seja qual for o nome que você preferir. 

Em razão desse desligamento (diga-se francamente: de termos abandonado Deus!), praticamos toda a sorte de desvios morais. Agredimos a consciência própria e alheia.

Cansados do mal e de sofrer, imploramos à Misericórdia Divina por uma chance derradeira de voltarmos à crosta física e acertarmos, finalmente nos colocarmos no Caminho.

E Deus, em seu amor incompreensível à rasa inteligência humana, não nos deixou entregues ao acaso! Estamos em um mundo que oferece muito a quem sabe procurar. Há muito para quem tem olhos de ver e ouvidos de ouvir! 

Cada ato que praticamos, até os pensamentos diários a inundarem a mente agitada, está moldando a realidade particular em que estamos inseridos. O aleatório não existe no Universo.

Para cada escolha, uma consequência. Se você optar por se alimentar bem, sabe a consequência; se escolher beber compulsivamente, também sabe; se cultivar a inveja ou a maledicência, não poderá reclamar dos efeitos disso em sua vida...

Em suma, não somos vítimas. Liberte-se  do vício de culpar algo/alguém. Liberte-se também da prática de se culpar pelo que acontece, pois a culpa apenas agride e aprisiona a consciência.

Aja! Agir é o verbo do momento. Lembra do que eu falei antes, sobre termos implorado por este corpo físico e esta oportunidade derradeira? 

Pois bem, não há mais tempo para reclamar, se culpar ou fazer de conta de que nada está acontecendo. Perdoe agora, cure-se agora; não há outro instante para você estender a mão ao próximo que está precisando; a planta do quintal espera que você a regue com amor... 

O mundo se agita; você, interiormente, procura por algo que não sabe explicar o que é

Esse algo a procurar é Deus. 

Não é uma religião, não é um guru, não é um livro, não é um blog espiritualista. Mas, claro, as religiões e os livros estão aí para nos auxiliarem nesta tarefa - eu mesmo, pratico com muito amor e respeito a Umbanda. Necessito dela para me religar ao Divino.

Em síntese, para concluir, eu e você, todos juntos, decidiremos o futuro do Planeta Terra. 

Temos uma nobre missão, certamente a mais nobre missão de nossas vidas milenares: fazer o bem triunfar neste pequeno globo azul! 

Sim, ao nos esforçarmos cotidianamente (não só no Natal... ;) para cumprimos o mandamento maior de Cristo - amarmos uns aos outros -, estamos salvando o presente e o futuro da humanidade. 

Todos, sem exceção ou distinção, estamos incumbidos de tal tarefa, que na verdade não é tão difícil: ser um seguidor de Jesus, o Cristo.

''Meus discípulos serão reconhecidos por muito se amarem.''


10 de nov de 2018

Um novo tempo

Espiritualistas do mundo inteiro têm há séculos sonhado com um novo mundo, marcado por um novo tempo. Aliás, Jesus nos prometeu isso em seus breves e eternos anos de pregação na Terra: o Reino de Deus. 

Hoje, o planeta Terra convulsiona, agita-se; debate-se. É a transformação, que já começou há algumas décadas, segundo sabemos. Um processo que pode ter muitos nomes: reurbanização planetária, mundo de regeneração, etc.

O que observo, e pode ser o mesmo que você tem observado, é essa agitação ou impacto, sentido por toda vida, instituição ou poder estabelecido no planeta. 

Somente após um doloroso parto é que chegaremos ao novo mundo, o qual será novo muito por circunstâncias mentais de seus habitantes - nós - do que circunstâncias realmente físicas. 

Fenômenos climáticos, sociais, psíquicos, biológicos, astronômicos, por aí vai, desafiam a nossa ordem íntima e a própria ordem planetária, criando o cenário do ''doloroso parto''.

O novo mundo, por sua vez, é a nossa esperança, desejo mais arreigado para o futuro da Terra. Não esqueçamos, entretanto, do que disse Jesus: o Reino de Deus é como uma semente. Ou seja, devemos estar agindo desde hoje, agora, para colhermos em um futuro breve o fruto de um novo tempo à humanidade.

O quão grande é a sua vontade de estabelecer um mundo melhor no planeta Terra? A resposta não dependerá de palavras, e sim de atitudes

25 de out de 2018

Renascer é preciso - e exige coragem

Uma das verdades universais que nunca vi alguém ousar contestar, nem mesmo ciência, religião, filosofia, ou "pessoa do contra", é que você deve conhecer a si mesmo. A frase (geralmente) atribuída a Sócrates é clara como a luz do Sol: CONHECE-TE A TI MESMO.

Mas por quê? Já se perguntou qual a finalidade de você se conhecer? Antes de eu continuar, transcrevo trechos do Evangelho (João):

''Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.
Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.
O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.''
João, 3:3,5,6.

Acredito que o renascimento ao qual se refere Jesus é consequência do longo e custoso processo de autoconhecimento, pois somente ao sabermos quem somos podemos nos transformar e vencer o Ego, a carne, as ilusões do mundo e, finalmente, adentrarmos no Reino de Deus

Quando você tem ciência dos seus defeitos, das corrupções morais que te afligem, é capaz de desejar a mudança. Diz no espelho: eu invejo meu irmão, sei disso e desejo superar o sentimento da inveja (exemplo). 

Somos doentes - em regra, se você chegou até esse texto, deve ser o seu caso. O que precisamos curar não é o corpo, e sim o espírito manifestado: o caráter, as atitudes e os pensamentos do dia a dia.  

A cura exige a transformação do caráter, das atitudes e dos pensamentos! E como transformar o que não conhecemos? O autoconhecimento, portanto, é o que permite curarmos a nós mesmos. Desta sorte, sãos do Espírito, nasceremos de novo, no sentido simbólico apresentado por Jesus, O Cristo.

Talvez você pergunte: como conhecer a mim mesmo?! Para isso, primeiro você tem que desejar te conhecer. Não se engane nem se iluda: deseje o autoconhecimento! A partir disso, saberá vigiar naturalmente seus modos mentais e comportamentais. Prestará atenção ao que vem em sua mente, aos sentimentos que surgem e quando surgem; saberá e entenderá o que desperta em você sentimentos negativos, como raiva e orgulho; terá também ciência dos seus pontos fortes e qualidades morais. 

Daí em diante, uma vez que você já quis se autoconhecer, naturalmente irá desejar também a mudança. 


Tudo isso, claro, é uma longa caminhada. Ninguém vira santo da noite para o dia, como diz o dito popular. Estamos aqui para iniciarmos ou continuarmos essa jornada de (auto)conhecimento e renascimento

Não deixe para amanhã; a próxima segunda-feira é tarde demais. Venha, vamos agora juntos pela estrada infinita da Verdadeira Vida.





31 de mai de 2018

Vivemos infelizes por preocupações que... são dispensáveis! PARE COM ISSO!

Ultimamente - escrevo em 31 de maio de 2018 - estamos assistindo a uma ''tendência aos caos'' no Brasil. Falo apenas "tendência", pois sou otimista e não acredito que o caos de fato prevalecerá nesta Terra, nem mesmo temporariamente.
 
Pois bem. E o caos dentro de você, como está? 

Minhas experiências mediúnicas, ainda recentes e pouco aprimoradas, já foram suficientes para eu chegar a uma conclusão: um dos mais comuns e intensos problemas de nós encarnados é a incapacidade de lidarmos com a vida. 

Temos problemas, é óbvio. Alguém aí não tem? A questão é: achamos tudo a pior coisa do mundo. Uma dificuldade financeira vira motivo para o vivente colocar sua vida de cabeça para baixo, perder a esperança, lamentar-se da manhã à noite. Um filho com dificuldades na escola... meus Deus! E o outro, que está namorando alguém que você não queria? E o emprego melhor, que não vem?! 

Tudo isso são problemas razoáveis, você está pensando. Não vamos dizer que não. Mas me diga, sinceramente, coisas dessa ordem (similares aos exemplos acima) são suficientes para te desestabilizar, tirar sua paz, te fazer perder o sono, tirar a sua QUALIDADE de vida?

Se você responder positivamente, então o final do título desse post é para o senhor(a) mesmo(a): PARE COM ISSO! 

Não permita seus pensamentos serem um amontoados de lembretes do tipo: ''preciso de mais dinheiro'', ''meu filho está com tal dificuldade'', ''preciso me mudar para uma casa melhor'', ''meu sogro não gosta de mim'', e por aí vai.

Aja. Se você está com dificuldade financeira e está fazendo o que é necessário para as coisas se ajeitarem, pronto, é uma questão de tempo, não existe milagre. Aguente o tranco e não permita tais dificuldades te jogarem para baixo.

''Fácil falar''. Se você pensou isso, só quero que ao menos TENTE. Faça a tentativa: reclame menos, troque os pensamentos, não deixe sua mente ficar repetindo exaustivamente as mesmas coisas, as mesmas preocupações. 

Sua vida é MAIOR que QUALQUER problema. Você é obra divina. Seu destino é único, pois sua missão no Universo é única. Entenda isso e todos os dilemas do dia a dia serão reduzidos a sua devida importância. 

Não encontraremos a paz enquanto estivermos submersos em um turbilhão de pensamentos e sentimentos negativos, na maioria das vezes DESNECESSÁRIOS. Esse é o resumo do que eu quero que você entenda lendo esse texto. Afaste a negatividade que te rodeia! 

Paz e luz a todos nós, mortais necessitados da misericórdia divina. Que o Senhor esteja conosco.

Obs.: se você gostou desse post, comente abaixo. Tenho ideias para ao menos dois desdobramentos dessa temática. Esse texto é um panorama do essencial.  

29 de abr de 2018

Hoje eu decidi ser luz

''Hoje eu decidi ser luz. 

Em um passado não muito remoto, havia escolhido a escuridão, o isolamento dentro de minha mente insana, acobertada por alguns relâmpagos de prazer, os quais eu não compreendia. 

Pois bem.

Duas vidas depois, imerso em famílias bem diferentes, que me motivaram a avançar, a trancos e barrancos, como vocês dizem, eu definitivamente mudei. Não foi fácil. No início do processo, ainda havia os mesmos traços de relutância e inferioridade. Acontece que a dor molda os mais resistentes dos Filhos de Deus. Eu não fui exceção. Mudei. Para melhor - acredito. 

E você? Mudou? 

''Não sei'', talvez esteja pensando. Como vou saber, se não sei como eu era antes, em outra(s) vida(s)? 

É verdade. Você talvez não saiba como era antes dessa vida, mas isso não quer dizer que não pode avaliar a questão. Vou perguntar de novo: você mudou? Desde que se entende por gente até hoje, você mudou algo que acredita que deveria mudar?

Se a resposta for não, pare e pense, faça isso agora: mudar algo. Só você, só você!, tem o controle de sua vida, portanto ninguém vai vir, bater à porta e falar: isso e isso para mudar, menino(a).

É você que deve se analisar, intimamente, dos pensamentos às ações, e concluir o que almeja melhorar, progredir enquanto pessoa, verdadeiramente falando, já que não existe mais tempo para hipocrisia.''

Se você estiver firme na decisão de ser luz, a luz que naturalmente você é te guiará pelo caminho certeiro da felicidade e realização plena. Dispense os atalhos. A porta é estreita, e contamos com o melhor dos mestres, nosso Senhor Jesus Cristo. 

17 de fev de 2018

Ontem, eu pedi a Deus que não me faltasse coragem


"Ontem não foi um dia especial. Acordei, escovei os dentes e fiz tudo de sempre. Mas antes do café, meu olhar se fixou no único quadro da sala - católico, herança de avós. A imagem de Nossa Senhora de Fátima me encarou como se eu fosse uma das crianças aos seus pés. 

Então eu rezei (é rezar ou orar que se fala?). Com todas as minhas forças, pensei em Deus e Jesus Cristo, agradecendo pela minha existência e todas essas coisas. Não tenho palavras para expressar minha gratidão. De qualquer forma, acho que Ele entende. Palavras nem bastariam, né? 

E minha oração ao Senhor não foi só para agradecer. As palavras saíram da minha boca sem que eu as controlasse. Ouvi a mim, numa prece que me consolou a alma:

Pai, que não me falte coragem. Que não me falte coragem nos dias difíceis, em que as tempestades estiverem contra mim, porque serei necessário ainda mais nesses dias. 

Meu trabalho, minha luta, não é pela maresia, não é pelo caminho fácil que já está de antemão desenhado pelo costume do fracasso, escrito ortodoxamente dentro da doutrina de quem se contenta com pouco, pouquíssimo.  

Eu não procuro nem quero sofrer. Tão somente sei que as dificuldades moldarão o espírito e as recompensas do trabalho árduo são sobejamente superiores à sombra morna. 

Por isso, não vou mirar a estrada simples e resolvida, terna quanto cômoda. Quero coragem, Senhor! Coragem para escolher o melhor para mim segundo a Vossa vontade e, descobri andando em Vossos ventos, ela é para quem está minimamente maduro. 

Necessito de força para não desistir e fé para acalentar. Espero a Sua presença, Senhor, para que não haja receio de que sou maior que todo o medo, tristeza, dor ou desespero. 

Sou completo em Sua presença, acredito piamente. 

Pai, eu entrego minha vida ao Senhor, para ser seu instrumento neste mundo, apesar de tolo e imperfeito. Que não me falte coragem, pois aspiro para o amanhã a glória de quem está em paz com a consciência, contente com a missão exitosamente cumprida.

Foi breve e durou uma eternidade, paradoxalmente. O que quer dizer exatamente, eu não sei. Sigo acordando às seis, trabalhando oito horas e cuidando das crianças. O que me espera, o que me exigirá tanta coragem?

Para mim, basta a certeza de que estou à disposição de Deus. Desde então, sinto que se Ele me chamar hoje, estou em prontidão."


30 de dez de 2017

Não esqueça em 2018, nós estamos em guerra

Sim, o planeta Terra está em guerra. Uma guerra que alguns costumam tangenciar abordando o tema ''reurbanização planetária'', mas ainda uma guerra. 

A guerra que vivemos não é física, não se trava entre países, tampouco entre encarnados. Nossa guerra é constante contra as Trevas estabelecidas em nossa morada planetária, há milhares de anos dominando o ''reino deste mundo''. 

Organizações superestruturadas, com tecnologias de fazer inveja a ciência atual, conhecimentos avançadíssimos em todas as áreas, da psicologia à engenharia, os espíritos por elas responsáveis contam com um verdadeiro exército para executar suas ordens. 

A organização, a disciplina e o empenho de quem trabalha para as Trevas é de chocar iniciantes espiritualistas, os quais geralmente não compreendem tal cenário. 

E até quando será assim? Quando, finalmente, a Terra será libertada de tamanha maldade? Sem dúvida, ao fim do Juízo Final, época em que finalmente habitaremos um mundo de regeneração.

A transição de mundo de expiações para regeneração já começou, apesar de ser um processo complexo e de efeitos imediados pouco perceptíveis. O final desse processo, além disso,  deve demorar algumas décadas, até os eventos finais se cumprirem, conforme as Escrituras de João. 

Para concluir, cito trecho escrito pelo apóstolo Paulo (em Efésios):

" 10. No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. 
11. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. 
12. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. 
13. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. 
14. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; 
15. E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; 
16. Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. 
17. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; 
18. Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos, [...]

Desejo a você em 2018 um ano próspero espiritual e materialmente e que você, como bom espiritualista que é ou (como eu) tenta ser, não esqueça que estamos em guerra contras as Trevas, para qual o Evangelho de Cristo é o maior escudo. 



OBS.: Ficou curioso? Quer entender melhor e mais profundamente os temas sinteticamente colocados neste post? Deixe o seu comentário, preferencialmente, se for o caso, explicitando a dúvida, ou fazendo a sua sugestão de melhora. 


14 de out de 2017

Cabe a você quebrar o ciclo de infelicidade gerado pela vingança; causar dor dá a certeza de recebê-la

Vingança. Palavra que nos desperta várias emoções. A vingança é responsável, por exemplo, por destruir inúmeros trabalhadores espiritualistas, principalmente os ligados ao candomblé (nação no sul) e à umbanda. 

Por que falo isso? Porque muitos de nós ainda não somos capazes de controlar o ímpeto de causar o mal a quem nos fez algum mal. Ou seja, queremos revidar a dor que nos fizeram passar causando dor à mesma pessoa que causou.

É praticamente instintivo. Fulano fez magia para mim? Vou revidar!

Outros exemplos: Fulano falou mal de mim? Vou falar muito pior dele! Fulano não me quer? Vou fazer amarração! Fulano me largou? Vou quebrar o carro dele! 

E por aí vai. Pode não ser o seu caso, mas saiba que situações como as descritas acima são, infelizmente, muito comuns em nossa sociedade. 

Enfim, pense em qualquer ideia que envolva vingança/revidar um ato negativo. Pensou? Essa ação de vingança fará com que você continue o ciclo de maldade e infelicidade. Você não vai ser isento de culpa do mal que praticou só porque não foi o primeiro a agir.

Mesmo que você julgue ter ''motivo justo'' para fazer o mal a alguém por vingança, será culpado pelo ato praticado. Sua consciência te culpará. 

Não existe desculpa para praticar o mal. Você não é responsável pela Justiça na Terra. Acredita em Deus? Então por que quer usurpar suas leis, querendo fazer justiça com as próprias mãos?

Não seja tolo! QUEBRE O CICLO CÁRMICO. Ore por quem te fez o mal, deseje o bem a ele. Só assim você não estará atraindo o carma negativo do ódio, da discórdia, da pura maldade.

Os espíritos trevosos debocham da ignorância humana. Estudamos o que é carma, sabemos que reencarnação existe, entendemos as principais Leis Naturais do Universo. E ainda sim, na prática, não mudamos nada! 

Estudar a espiritualidade significa entender a vida. Aqui, agora, neste plano. Não é para amanhã ou depois de morto. É PARA HOJE. Muito sinceramente, eu espero que a partir de hoje você passe a refletir seriamente quando pensar em se vingar de alguém. 

Colhemos o que plantamos. Você quer colher dor? Se não, não a plante em nenhum solo, não importa se esse solo te prejudicou. Quem tem mais, dá para quem tem menos. Retribua com misericórdia quem te estendeu a mão do ódio.

16 de set de 2017

Sua vida é inútil? Tenha propósitos!

Tenho o costume de, ao rezar, ler algum trecho da Doutrina Espírita. Seleciono aleatoriamente um dos livros da obra de Kardec e leio uma ou duas páginas, após a oração - é uma forma de relê-los. 

Recentemente, reli determinada parte de "O Céu e o Inferno" que sempre me impacta: a dos espíritos entediados. Para quem quiser ler, está no Capítulo VII (Espíritos Endurecidos).

O sofrimento experimentado pelos espíritos que foram e continuam sendo entediados resulta, por óbvio, da inutilidade pela qual guiam a própria existência. 

"Viver inutilmente" é uma expressão ampla. O que é ser inútil? Não há como definir objetivamente. Há quem literalmente não faça nada, passe o dia jogado sobre o sofá, perambulando pela casa e eventualmente indo a alguma distração. Concordamos, com certeza, que esses são inúteis. 

Contudo, só esse extremo? Será que mesmo trabalhando oito horas por dia não podemos ser inúteis? Aqui, é uma questão subjetiva, todavia, acredito que sim. 

Justifico.

Trabalhar é uma necessidade. Ao nos mantermos materialmente, estamos sendo parcialmente úteis, pois a matéria está sendo provida. Ótimo! Primeiro passo cumprido.

E o resto? E o familiar, o social, o intelectual, o espiritual? 

Há trabalhos que ''sugam'' muito. Um médico, por exemplo, pode não ter condições de ainda trabalhar mediunicamente - até porque, geralmente, já vai estar trabalhando mediunicamente em boa parte do tempo do trabalho profissional. 

Mesmo nestes casos, há uma gama de áreas da vida para ser preenchida. 

Não viemos a Terra para ser limitados. Não estamos encarnados para uma vida solitária, afastada de problemas e desafios.

Estamos aqui para nos enfrentarmos e para enfrentarmos. Enfrentarmos o quê?

Enfrentarmos situações que nos tiram da zona do conforto. Para isso, não podemos ser acomodados. Seja querendo fazer um mestrado após a faculdade, seja querendo estudar para um concurso difícil, seja querendo iniciar a prática de uma nova atividade mediúnica, seja querendo ter mais um filho, seja buscando escrever um livro ou iniciar aulas de dança: mexa-se.

Tenha propósitos em sua vida, preferencialmente, materiais e espirituais - neste plano, precisamos de ambos. Corra atrás deles, e saberá que sua vida foi e é plena.

11 de jun de 2017

A minha vida vale mais do que a sua?

Pare e pense. Inverta a questão, também: a sua vida vale mais do que a minha?

Por mais singela que essa pergunta pareça, e por mais que você vá responder categoricamente que não!, nenhuma vida vale mais do que a outra!, eu peço para que você sinceramente pare e reflita.

Quantas vezes pensamos e agimos como se nossa existência tivesse, sim, mais valor que a do outro? Isso se dá em pequenas atitudes. Instintivas, sobretudo. 

Nem raciocinamos sobre, mas estamos lá, pensando ou agindo como quem se acha superior.

Você quer um exemplo? Não é difícil encontrá-lo. Analise a si próprio, e aos seus próximos (sem o fim de julgá-los, obviamente). Encontrará diversos.

Superar o egoísmo - gerador primário de toda crença responsável por colocar você acima dos outros, direta ou indiretamente, consciente ou inconscientemente - é uma necessidade para quem quer deixar para trás o lado animalesco que carrega.

É verdade: ainda carregamos um lado animalesco - naturalmente. Saímos, na escala do Universo Cósmico, há pouco tempo do estado irracional ou semi-racional dos animais. Hoje, somos animais racionais. Estamos aprendendo a lidar com isso (razão, consciência, liberdade, livre-arbítrio, etc). 

Decepcionante? Para quem desconhece essa realidade, é chocante descobri-la de súpeto. Mais fácil negar.

Fato é que não superaremos nosso atual estado de ser, isto é, nosso apego ao bruto (material), sem esforço constante e contínuo no bem

Você pode começar a fazer isso - exercer tal esforço para melhorar intimamente - refletindo sobre a pergunta do título. E desejando, realmente, combater toda a ideia ou sentimento de que você vale mais do que o outro.

3 de abr de 2017

Quem tem medo da dor?

O medo, enquanto típica preocupação, é uma criação que imagina o que não existe, dando vida a um imaginário temor, o qual, então, começará a atormentar seu criador, porque em sua mente o temor é real, está idealizado e projetado. 

Em suma, nos preocupamos com coisas que não existem. Temos medo de problemas inexistentes - como se já não bastassem os existentes! 

Entre tais medos imaginários - e não creio que todo medo seja imaginário, então vamos tratar do medo que seja essa típica preocupação nossa de cada dia -, podemos abordar o medo da dor. 

Genericamente, tememos sofrer. Você não?

Pode ser algo ''material'', como a pessoa que vai ao médico por motivos irrisórios, a fim de se precaver, achando que está com uma grave enfermidade, ou algo puramente mental. 

Explico. 

Algumas pessoas estão tão viciadas em problemas que acabam por viver criando os mais diversos: não só doenças, mas todo o tipo de erro. Seja na vida amorosa, financeira, em todas as suas relações sociais, enfim, nos amplos campos da vida.

Esperar o pior, isto é, esperar o sofrimento, pode se tornar um vício, se não nos tornarmos atentos para isso. Se você não tem esse problema, tente observar as pessoas que têm e, compreendendo-as, auxiliá-las. 

Outra questão, dentro deste assunto, é se faz sentido ou não temermos o sofrimento. 

Afinal de contas, não devemos procurar a dor. Você não deve castigar o seu corpo físico e mental por achar que isso vai elevá-lo espiritualmente. 

Evitar a dor, naturalmente humano, tanto biológica quanto espiritualmente falando, ainda é diferente de temê-la. 

Se sabemos que estamos neste planeta - mais especificamente, nesta reencarnação - dispostos a enfrentar provas e expiações, que temos débitos cármicos, que temos a Justiça e a Misericórdia Divinas impondo suas Leis, e que jamais o fardo será superior a capacidade de quem deve carregá-lo, bem como, por final, que não existem injustiças no Universo, por que temer qualquer sofrimento que seja?

Não faz sentido, destarte, nos preocuparmos com sofrimentos irreais. Quaisquer sofrimentos reais, ou seja, que se concretizarem em nossa vida, estarão de acordo com a Lei do Carma, e também da Justiça e da Misericórdia Divinas. 

Livre-se do medo da dor. Livre-se da criação imaginária de problemas e sofrimento. Viva a sua vida no presente, sem se distrair com tormentos de um futuro que ainda não chegou. 


5 de fev de 2017

Reflexões sobre obsessão espiritual: O que seus sentimentos estão alimentando?

Tão logo alguém se familiariza aos conceitos espíritas e espiritualistas, acaba por saber do que se trata o termo ''obsessão espiritual''.

Obsessão espiritual é um estado de influência maléfica entre desencarnados e encarnados, ou encarnados e encarnados, ou - ainda - entre desencarnados e desencarnados. 

Em outras palavras, você pode ser influenciado negativamente por um espírito desencarnado, ou influenciá-lo. Pode influenciar um encarnado ou ser influenciado por ele - tudo isso de tal forma que existe uma simbiose, com polo ativo e polo passivo, a ponto de as duas partes terminarem prejudicadas.

O exemplo mais comum é o de alguém que durante a vida é alcoólatra, desencarna e passa a obsidiar encarnados no momento em que esses bebem (ou até incitar a vontade em outros que têm predisposição). O mesmo poderia valer para outras drogas, comida em geral, pornografia, enfim, qualquer vício. 

Em suma, o vício remete a uma cadeia: o viciado em posse de corpo físico e o viciado desencarnado, este último necessitando do encarnado para aliviar seu vício.

Entretanto, seria simplório imaginar que isso acontece apenas com vícios tais quais os expostos acima. Sentimentos, como o orgulho e a vaidade, a arrogância, igualmente podem atrair para a aura de seu geradores espíritos baixos, desta mesma vibração.

Mais um exemplo:

Imagine que você está desejando o mal para alguém que te fez mal - após uma briga com essa pessoa, ou após descobrir o que ela te fez. Neste momento, você também estará sendo sintonizado a espíritos desta vibração, com desejos similares. E eles tentarão explorar você, pois cada pensamento negativo seu, de desejo do mal, é similar a um alimento/combustível para eles.

Espíritos trevosos não desejam apenas alcoólicos e drogados em geral. Esses são os simplórios. As hordas mais vis e baixas que ainda têm vez em nosso planeta exploram a sua capacidade de ser como eles: ruim, no amplo sentido. 

Isso é bem mais grave do que beber cerveja no final de semana. Algo que eu, tristemente, vejo alguns espiritualistas discutindo como se fosse uma questão de vida ou morte.

O ciclo é perigoso, sobretudo, porque você, com 1% de disposição para o mal, acabará com 2% ou 3%, ou sabe se lá quanto mais, após receber as influências desses espíritos, uma vez que eles estarão ligados a você (por isso você os alimenta, pois sua energia passa a ser também a energia deles).

Cuidado com o que você deseja e para quem você deseja. Lembre-se que estará, possivelmente, alimentando espíritos que estão vendo em você uma boa fonte para alimentá-los - não só a curto prazo: pode se estender por mais de uma encarnação. 

Então, o que seus sentimentos estão alimentando?

Atualizado em 24/09/2017.