19 de jul de 2014

Immanuel Kant e o Espiritismo


''145. Como se explica que tantos filósofos antigos e modernos, durante tão longo tempo, hajam discutido sobre a ciência psicológica e não tenham chegado ao conhecimento da verdade?

- Esses homens eram precursores da eterna Doutrina Espírita. Prepararam os caminhos. Eram homens e, como tais, se enganaram, tomando suas próprias idéias pela luz. No entanto, mesmo os seus erros servem para realçar a verdade, mostrando o pró e o contra. Demais, entre esses erros se encontram grandes verdades que um estudo comparativo torna apreensíveis.'' O Livro dos Espíritos.

Neste post, lanço ideias do filósofo prussiano Immanuel Kant, considerado o pai do Iluminismo. Tais postulados alinham-se ao grande trabalho do Espiritismo no planeta Terra e tantas outras filosofias orientais.

De forma alguma podemos entender que Kant era espírita. Ao leitor desavisado, Kant morreu antes de Allan Kardec nascer. Mas, assim como Sócrates, já esclarecia a humanidade com importantes ideais para o progresso coletivo, que até hoje se fazem muito necessários.

Comecemos pelo esclarecimento. Esclarecimento nada mais que a saída do homem de sua menoridade - ou seja, sua independência de outrem para pensar e agir. Em outras palavras, autonomia.

A pessoa autônoma não mata por medo de uma lei que a puna. A pessoa autônoma não mata porque sua consciência impele a isso, pelo seu dever moral baseado na razão, jamais por medo e punições.

Kant deixa bem claro que o homem permanece na menoridade por vontade própria - preguiça e covardia são palavras-chave. Afinal, não é mais cômodo viver sendo guiado e moderado pelos outros?

O homem que liberta sua consciência dos grilhões das convenções sociais e crenças escravizadoras, imposta através de séculos e séculos, é um homem que saiu de sua menoridade - raciocina por si próprio, não culpa os outros pelas consequências de sua vida etc.

Tendo em vista esse princípio, há o imperativo categórico: a universalização da ação segundo à consciência. Façamos aquilo que, inegavelmente, é o certo, que é válido para todos. 

Ora, todos temos as Leis de Deus escritas na consciência, portanto, o imperativo categórico nada mais do que a confirmação desta ideia, assim como os conceitos de esclarecimento e autonomia são pilares da libertação das consciências.

A História está repleta de homens que fizeram ilustres trabalhos pela humanidade, e sem dúvida Kant é um deles. Com exceção de Jesus, o Divino Mestre, todos tiveram seus erros e acertos, mas devemos saber filtrar as informações de acordo com a época, local e histórico do seu autor.

Se você quer conhecer mais detalhadamente a filosofia de Immamuel Kant, seus principais livros são: ''Crítica da Razão Pura'', ''Crítica da Razão Prática'' e ''À Paz Eterna''.




Nenhum comentário:

Postar um comentário