21 de mar de 2014

Entendendo a si mesmo: Emoções e reações

Quando o consciente não tem tempo para raciocinar, o subconsciente guia as ações e pensamentos do indivíduo na situação problemática em que se encontra. Muitas vezes, as reações nos decepcionam posteriormente.

(Antes da leitura deste texto, recomendo, para maior entendimento, ''Mecanismos do ego''.)

Se alguém que você conhece começa a brigar verbalmente com você, aparentemente do nada,  pode ser que sua reação à esta ação seja rebater. Aí há vibrações reciprocas de  desequilíbrio. Mesmo abalado, contudo, ao manter a calma, poderá sair melhor deste problema.

Tudo é questão de escolha. A reação vinculada, como no exemplo acima, evidencia o patamar espiritual que estamos e o esforço que empreitamos. 

Por fatores naturais do processo evolutivo, nem sempre vamos agir certos, mas a cada análise consciente, vertendo um real entendimento, fica no indivíduo um molde para conseguir fazer diferente em outra situação.

A consciência, primeiramente, consegue dizer que erramos tempo depois do erro cometido. Com certo aprendizado, ouvimos a  corrigenda momentos depois. Posteriormente, erramos e estamos sabendo isso no mesmo instante. 

Neste  último passo, facilita-se conseguir controlar as emoções que nos entregamos e as respectivas reações geradas ainda durante o momento problemático.

Em suma, é preciso esforço, sem sentimentos de culpa e pressão pessoal, para equilibrar-se emocionalmente e reagir de um modo espiritualmente correto.

São muitas as provas e expiações. A Vida nos reserva vários testes, de acordo com o estágio por nós alcançado, pois o fardo jamais é maior do que se possa carregar. Passar ou reprovar é, como tudo nesta abençoada escola, fruto nosso.








Nenhum comentário:

Postar um comentário