6 de dez de 2013

O trabalho para o Espiritismo

Não encarnamos para a ociosidade, nem para a indiferença. Temos energia vital para trabalharmos. Toda atividade útil é um trabalho, não consistindo o mesmo apenas em limitados conceitos humanos. Ler, estudar, conversar, escutar... tudo isso pode ser trabalho, se proveitoso ao espírito.

O Livro dos Espíritos:

674. A necessidade do trabalho é uma lei da natureza? – O trabalho é uma lei natural, por isso mesmo é uma necessidade, e a civilização obriga o homem a trabalhar mais, porque aumenta suas necessidades e prazeres.

675. Devem-se entender por trabalho somente as ocupações materiais? – Não; o Espírito também trabalha, assim como o corpo. Toda ocupação útil é trabalho.

É através do trabalho que o homem escoa suas dívidas com a Providência, evolui moral e intelectualmente. Enfim, constrói a si mesmo, jamais, contudo, insulado. Aqueles que se dedicam ao tédio, vivendo apenas para prazeres, têm, futuramente, grandes missões a resgatar. Não temos ferramentas, como a inteligência, criatividade e disponibilidade física, para a deixarmos inutilizadas, ou quase isso. 

Joana de Ângelis cita: ''A lei do trabalho, porém, impõe-se a todos e ninguém fugirá dela impunemente, deixando de ser surpreendido mais adiante... A homem algum é permitido usufruir os benefícios do trabalho de outrem sem a justa retribuição e toda exploração imposta pelo usuário representa cárcere e algema para si mesmo, na sucessão das existências inevitáveis a que se encontra impelido a utilizar.''

O trabalho cabe a todos nós, nas porções servidas pela consciência. O progresso da Terra não vem à toa, vem de acordo com o esforço da própria Humanidade, resultado de suas atividades. Cada um, portanto, é um importante elemento do todo. Quando progredimos, o nosso exemplo repercutirá exponencialmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário