2 de ago de 2015

O que aflige os amigos espirituais

Ao concluirmos que a felicidade não é deste mundo, assumimos o caráter de provas e expiações da Terra. A questão 487 de O Livro dos Espíritos pergunta qual o mal que os Espíritos se afligem mais por nós: o físico ou o moral. Todos temos problemas e males, uns intrinsecamente físicos, como as doenças e a miséria, outros intrinsecamente morais, demasiado vastos. Portanto, qual foi a resposta dos Espíritos Superiores a Kardec? Vejamos:

''Do vosso egoísmo e dureza de coração: daí deriva tudo. Eles se riem de todos esses males imaginários que nascem do orgulho e da ambição e se alegram com aqueles que servem para abreviar vosso tempo de prova.''

Trecho do comentário do Codificador:

''Os Espíritos, sabendo que a nossa vida corporal é apenas transitória e que angústias são meios de chegar a um estado melhor, se afligem mais pelas causas morais que nos distanciam deles do que pelas físicas, que são apenas passageiras. 


Os Espíritos não se prendem muito às infelicidades que afetam apenas nossas idéias mundanas, assim como fazemos com os desgostos infantis das crianças.''



As causas físicas, também consequências da moralidade, são, porém, testes. Passageiras, pois a encarnação é um fragmento da vida. Necessárias, pois servem para o nosso adiantamento. Entretanto, se uma pessoa sofre hoje por uma doença, pode sofrer muitos séculos pela sua vaidade. O mal moral não é tão passageiro, fica enraizado até que tenhamos verdadeira vontade e perseverança para nos despojarmos. Por isso, os nossos amigos espirituais muito mais se afligem com o egoísmo do que com a pobreza. A pobreza pode ser revertida ainda na própria encarnação. É muito mais fácil fazer isso do que transformar um homem orgulhoso em humilde, egoísta em filantrópico.


Trabalhemos pelo bem estar sem esquecermos que aquilo que mais pode nos prejudicar não está na carne, e sim no espírito, onde deixamos acumular os vícios da alma!

[Publicado originalmente em 15/11/13 e repostado em 02/08/15.]

Nenhum comentário:

Postar um comentário