6 de dez de 2015

Lembretes a um encarnado

O primeiro lembrete a você, encarnado, não poderia ser outro: você carrega uma lista de débitos com a Providência. Não aumente isso quando é possível evitar, diminua cumprindo com os seus deveres, sem rebeldia. Nada é por acaso.

Ok, é um recado sucinto e complexo de ser executado na prática. Eu sei disso! Pode ser difícil, mas não é impossível. Ou, dependendo do ponto de vista, pode se dizer que não é fácil - nem por isso difícil. Recomendo a leitura deste texto do blog sobre reforma íntima. Faça uma leitura atenta e reflexiva.

Continuando:

A matéria oferece um mundo de ilusões. Não se deixe levar por aquilo que não acrescenta nada de bom a você. Sabe a frase de Paulo? ''Tudo me é permitido", mas nem tudo convém.'' Pois então: já estamos suficientemente maduros para algumas coisas - outras, não, mas aí seria um assunto (delicado) para outro texto.

As expiações vêm, as dores vêm, os problemas vêm. É justamente por isso que você está aqui. A diferença é como passa e lida com essas coisas. 

Orar diariamente, como o banho: limpeza mental e energização espiritual. Sem fé, o indivíduo endurece e enfraquece a si mesmo.

Compreender antes de ser compreendido. Se o outro te é incompreensível, compreenda ele. Quem tem mais dá para quem tem menos. E quanto mais se tem, mais se recebe. Somos testados sempre - não esqueça.

O tempo é algo precioso. Aproveite de forma responsável e frutífera os seus dias. Não estamos aqui para vivermos no ócio, contemplando o dia inteiro programas televisivos mesquinhos, por exemplo, ou fazendo o que não promove nada de bom para ou o próximo. Podemos ser fúteis e superficiais se quisermos - mas há um preço a pagar por nossa preguiça. Evite esse preço.

O seu corpo não é realmente seu corpo. É um empréstimo divino, portanto você tem que cuidá-lo e preservá-lo. Abusos da alimentação, de sentimentos obsessivos (que causam doenças físicas), uso de drogas (álcool, nicotina, maconha etc.)  levam você ao suicídio inconsciente - ou seja, ser responsável pela própria morte, mas não deliberadamente.

Uma ''legião de testemunhas'', como disse Paulo de Tarso, o acompanha. Seus pensamentos atraem espíritos na mesma sintonia, por isso, como também disse Jesus, mostram quem você é. 

Não esqueça ou menospreze o material, pois estamos encarnados, porém também não deixe de estudar e vivenciar os seus aprendizados espirituais. 

Você possui muito a melhorar. Em outras palavras: não se preocupe em julgar os outros. Do mesmo modo, evite ao máximo a maledicência. São venenos para a nossa alma.

A consciência sempre nos aponta erros cometidos. Se arrepender é natural, corrigir, o ideal. Mas a culpa apenas nos atemoriza. Não se deixe dominar por isso. Lembre-se: erramos e isso faz parte do nosso contínuo processo de evolução. Não exija perfeição. 

Antes de se importar vaidosamente com a opinião alheia, importe-se com o que você acredita. É até clichê dizer isso, mas não há outra forma de nos desamarrarmos de grilhões que escondem a nossa luz. Abrimos mão de valores, ou de realmente sermos quem somos, pelo medo da desaprovação. Contudo, sabendo que esta é uma breve vida, perto da eternidade que nos espera, vale mesmo a pena nos escondermos por medo ou vergonha?

(Publicado originalmente em 07/11/13. Atualizado pela primeira vez em 27 de março de 2015 e posteriormente em 06/12/15.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário