25 de mai de 2016

As trevas querem você limitado

O título pode soar estranho para alguns: trevas? Explicando: Por trevas, devemos entender a legião (é numerosa!) de espíritos que exercem conscientemente seus planos de controle sobre nós, encarnados e desencarnados.

Existe um contingente de espíritos habilidosos, intelectualizados e ágeis, que se esforçam cada vez mais para manter o poder que têm. Sim, esses espíritos - organizados em diversas hierarquias - são extremamente influentes e aproveitam de nossa baixeza moral para se abastecerem energicamente.

Os vícios, os pensamentos desordenados, a vida mesquinha: são elementos de combustível a tais espíritos. Eles vampirizam inteligentemente nossas forças vitais.

Sendo assim, é importante para eles que nós continuemos os mesmos. Não precisamos mudar. Justamente: só precisamos continuar agindo da forma mais robótica e materializada possível. Simples, não? Nada trabalhoso ou desgastante.

Veja bem: o que mais preocupa a esses espíritos não é o quanto você está lendo sobre a Doutrina Espírita, sobre a Doutrina Secreta, sobre a Bíblia. Não! Definitivamente, não. Isso pode ser de interesse, e geralmente o é, mas secundário.

O que mais preocupa as trevas é o quanto você está disposto a colaborar menos com eles. Por isso, o conhecimento influencia, porém não é a palavra final.

Os esclarecimentos espiritualistas e religiosos têm por fim elucidar nossa consciência da importância disso tudo. De como somos frágeis e pequenos ainda. Que precisamos nos esforçar para mudar. Eis, portanto, que o conhecimento é uma chave, renegada por nós em diversas instâncias. É mais cômodo apenas pegar a chave e andar com ela no bolso, sem abrir a gloriosa porta que ela desvenda. 

Se você está se interessando em ajudar os outros, a si mesmo, se você está se interessando mais em estender a mão do que julgar, isso que faz toda a diferença... Clichê? Pois, repito, é justamente coisas simples como essas que fecham as portas para as trevas nos acessarem. O esforço moral que nos aproxima de Deus e nos distancia da matéria.

As trevas desejam que nossos pensamentos sejam sempre os mais mesquinhos possível. Que olhemos os outros com maledicência e reprovação. Que nossa rotina seja resumida a comer-reproduzir-dormir. Que de forma alguma trabalhemos pelos outros. Que de forma alguma descubramos a paz de espírito ou algo próximo da felicidade. Ou seja, as trevas desejam para nós o mesmo caminho que eles, por ora, escolheram seguir: o caminho da contramão do progresso.

Estagnação. Essa é a palavra de ordem que querem para você. Nada de progresso. Nada de vislumbrar novos horizontes - somente o grosseiro horizonte terreno. Nada de saber se redimir, de mudar. Nada de querer ser melhor. 

E aí, a quem você quer servir?

Nenhum comentário:

Postar um comentário