1 de nov de 2014

É difícil ser espírita?

É difícil ser espírita ou espiritualista?

Se fosse fácil, a humanidade já estaria avançada. Mas não me refiro a crenças e ideologias. Não! Não apenas isso, mas sim a vivência do Espiritismo.

Vivemos em um mundo extremamente sensorial. O consumismo como regra, aliado a valores pouco nobres, nos incita muitas vezes a caminhos tortuosos. Vale citar o trecho da Prece do Anjo Ismael:

''Se o mundo com seus erros, paixões e ódios, alastra o caminho de espinhos, escurecendo o nosso horizonte com as trevas do pecado, rebrilha mais com Tua Misericórdia, para que seguros e apoiados no Teu Evangelho, possamos trilhar e vencer as escabrosidades do carreiro e chegar às moradas do Teu Reino.''

Observando veremos que, em geral, os espíritas não são exemplo de moralidade a ninguém. Não acredito que constituamos um grupo avançado - e a base disso é a incompleta prática da Doutrina dos Espíritos.

Afinal, se você é 100% espiritualizado e domina 100% a si mesmo, então nem diria que é espírita, diria que é um espírito em missão, e não precisa deste blog.

Mas lembremos: o Espiritismo institui o progresso, seja ele grande ou pequeno, é válido. Cada um recebe pelo que trabalha por si mesmo.

Se você se cobrar demais, vai acabar desistindo do Espiritismo ou transformando-o em uma neura inútil.

Melhorar deve ser uma cobrança, sim, mas nada psicótico. Se você acha que pode chegar à perfeição nesta vida, aí vai um spoiler: não vai conseguir.

Então, resumamos dizendo que: melhorar sempre; sentir raiva de si mesmo por suas imperfeições, nunca! Isso não vai ajudá-lo. 

Avance conscientemente, sem renegar a si mesmo em busca de uma personalidade que não é a sua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário