16 de dez de 2013

O que esperar de um ano novo?

Como todos os anos acontece, ao chegar o término de um, refletimos sobre as coisas que aconteceram, geralmente fazendo planos para o próximo. Alguns, otimistas. Outros, pessimistas. Espiritualmente e materialmente, contudo, sempre possuímos objetivos. Então, o que esperar de 2014?

Quando temos um dia ruim, é possível deitar e dormir, acordando com a chance de ser tudo diferente; um novo dia. Paralelamente é o ano novo, pois precisamos destes ''ciclos'': dia novo, mês novo, ano novo...  Em 2013, você, ser espiritual, viveu diversas experiências (infelizmente, pode não ter sequer noção de quantas) e aprendeu (sim!) coisas novas para o seu adiantamento.

Também passou por provas e expiações, como certamente antes, e estas mesmas coisas devem continuar acontecendo no próximo ano. A diferença está em você mesmo. Diferente do que  antes - cada um se muda na medida que se esforça -, você começará um novo ano, apto a novas experiências, pois não é exatamente o mesmo de 2012. 

Em 2014, aproveite para fazer diferente aquilo que julga necessário (uma espécie de versão ampliada do exercício de Santo Agostinho). Não tenha medo de mudar! Entretanto, tais mudanças não devem ser feitas por convencionalismo. Ouça à consciência, ela não falha. 

Reforme-se para o porvir. Não contam apenas as limpezas físicas, faça uma limpeza mental e sentimental, renovando os pensamentos. Além disso, tenhamos perseverança nos objetivos e nas metas. Difíceis ou fáceis, estamos aqui para conquistar e vencer. Vencemos e conquistamos com o adiantamento moral e intelectual, ambos andando juntos, sem esquecermos jamais da caridade cristã, que não precisa abarcar o mundo, pode começar dentro da própria casa!

Continuar se renovando sempre, disposto a aprender, esforçando-se pacienciosamente, sem cair na estagnação. Agite positivamente sua vida, seu novo ano tem tudo para ser muito produtivo, basta você querer. Esperemos em 2014, antes de tudo, de nós mesmos, sem cobrar dos outros. A parte que depende exclusivamente de nós é a nossa. Os outros, confiemos no Pai. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário