10 de jan de 2014

Nos enredos do sexo: Introdução

Imprescindível abordar o sexo. A Humanidade caminha para muitos desregramentos, como se procurasse um ápice, o cume da montanha que vai se jogar. Por isso, este campo precisa de esclarecimentos sinceros e o maior encaminhamento possível. O À Luz da Seara fará sua singela parte com uma série de posts chamada ''Nos enredos do sexo'', começando por este, uma introdução ao tema.

Dizem psicólogos e outros profissionais que os relacionamentos se baseiam mais de 90% em sexo. Não vou contestar, porém isso, no mínimo, explicaria o fracasso da maioria dos relacionamentos. 

A famosa ''química'' é um dos fatores, mas nem de longe o essencial para que duas pessoas se unam afetiva e seriamente. Não constitui uma relação, e uma relação baseada simplesmente na atração está infalivelmente condenada ao fracasso.

A modernidade alcançada pela civilização tem uma forte dose de extravagâncias. Confunde-se avanço com libertinagem. O lado primitivo, animalesco do homem retorna para se fazer ativamente presente. Muitos falam que justamente o sexo por prazer nos diferencia dos outros animais, contudo, até que ponto a busca incessante pelo prazer não nos rebaixa à animalidade, como quem serve a um instinto natural sem por limites saudáveis? 

O homem possui capacidade e consciência. Tem livre-arbítrio para agir e guia a si mesmo, isso sim o diferenciando, pois pode, inclusive, passar os limites salutares. Quando falamos de sexo, acontece o mesmo: podemos transpor limites, por ignorância ou descaso, respondendo às consequências.

Indico outros posts do blog que envolvem a sociedade atual e sexualidade, que são: Erotismo musical e Pornografia: a verdade sob o incentivo. Esta série, entretanto, é mais direta. Sinta-se convidado a comentar, apresentar sua opinião, crítica ou divergência.

Um comentário:

  1. Ultimamente tenho pensado muito sobre essa questão de banalização do sexo. Percebo que realmente precisamos estar atentos as escolhas que fazemos em relação aos nossos desejos sexuais. Tornamo- nos cada vez mais egoístas quando pensamos apenas em satisfazer nossos desejos carnais. Acabamos por esquecer coisas mais valiosas e importantes dando margem á traições que nossa própria consciencia nos cobra posteriormente a nossos atos. Sei que o grande desafio nessa terra cheia de convites atrativos ao sexo facil , é o de manter a mente livre dessas coisas. Mas e tarefa árdua.

    ResponderExcluir