26 de nov de 2013

Você, o mundo e ''maya''

Ser consciente é observar a si mesmo e aos outros. Observar principalmente no sentido de compreender. Automatismo e irracionalidades são fatores opostos à consciência, pois deixam o homem em um estado de sono mental. Então, faça este exercício e analise-se, juntamente com o mundo em que vivemos. Qual o resultado?

Cada indivíduo traz consigo um complicado mundo interior, tarefas a cumprir e dívidas a pagar. Você, que não foge a regra, assim como eu, pode entender que estamos em algo muito maior do que imaginamos. Para explicar melhor: a palavra ''maya'' é muito conhecida no Ocultismo. Quando comecei a ler sobre, o termo era usado com tanta frieza que fiquei chocado. O mundo, tudo ao redor: ilusão. Isto que significa ''maya'': ilusão. Não duvidei dessa verdade, mas só comecei a compreendê-la a fundo com o decorrer de semanas.

Nas sessões mediúnicas do centro a qual frequento, muitos espíritos doentes, flagelados e assustadoramente ignorantes manifestam-se (para serem ajudados, já que precisam desta ''materialidade''). Primeiro passo para compreender maya. O homem que vivia normalmente, com seus vícios, ao desencarnar se transforma em um insano. Cessa o convencionalismo. Por isso, aqui estamos imersos em ilusões. Ao desencarnar, elas manifestam grosseiramente suas consequências, mas não acabam independentemente do esforço individual.

Bilhões de espíritos na Terra, deduzo (não só contando encarnados), ainda permanecem em considerável ignorância. Não compreendem as verdades, aquelas que não são dos homens, são de Deus. Não me excluo desta estatística, porque a abolição total da ilusão, penso, só é alcançada em um estágio superior. Entretanto, o conhecimento do mundo espiritual e os verdadeiros objetivos dos espíritos influenciam muito para diminuir nossa cegueira.

Voltando à pergunta inicial, como você é, como você entende o mundo, e como você se vê nesse mundo? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário